Mote do encontro (23/06/15)



Texto lido por Vinicius Varela

Através do espelho e o que Alice encontrou por lá

 

 

“Agora está sonhando”, observou Tweedledee. “Com que acha que ele sonha?"

Alice disse: “Isso ninguém pode saber.”

“Ora, com você!” Tweedledee exclamou, batendo palmas, triunfante. “E se parasse de sonhar com você, onde acha que você estaria?”

“Onde estou agora, é claro”, respondeu Alice.

“Não, não!” Tweedledee retrucou, desdenhoso. “Não estaria em lugar algum. Ora, você é só uma espécie de coisa no sonho dele!”

“Se o Rei acordasse”, acrescentou Tweedledum, “você sumiria... puf!... exatamente como uma vela!”

“Não sumiria!” Alice exclamou indignada. “Além disso, se sou só uma espécie de coisa no sonho dele, gostaria de saber o que vocês são?”

“Idem”, disse Tweedledum.

“Idem, ibidem”, gritou Tweedledee.

E gritou tão alto que Alice não pôde se impedir de dizer: 

“Psss! Receio que vá acordá-lo se fizer tanto barulho.”

“Bem, não adianta você falar sobre acordá-lo”, disse Tweedledum, “quando não passa de uma das coisas do sonho dele. Você sabe muito bem que não é real.”

“Eu sou real!” disse Alice e começou a chorar.

“Não vai ficar nem um pingo mais real chorando”, observou Tweedledee.


CARROLL, Lewis. Aventuras de Alice no País das Maravilhas & Através Espelho e o que Alice Encontrou Por Lá. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.






Lewis Carroll nasceu na Inglaterra, em 1832. É o autor de Alice no país das maravilhas. Por sugestão do escritor Henry Kingsley, Alice foi publicado sem especificar se era destinado para adultos ou crianças. Além de tratados matemáticos, livros de lógica, adivinhações e jogos, Lewis Carroll ainda escreveu Alice através do espelho, outra história famosa que envolve a mesma personagem em situações que exploram a linguagem simbólica e mostram os limites dessas formulações, assim como acontece com Alice, ao reclamar da forma repentina de apa­recer e desaparecer do Gato: dessa vez, ele desaparece bem devagar­zinho, começando pela cauda e acabando pelo sorriso. Alice no país das maravilhas reaviva em crianças e adultos a condição infantil, onde o sonho se confunde com a realidade. Faleceu em 1898.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O livro do desassossego, de Fernando Pessoa

Lagartixa cauda-de-chicote, por Patricia Porto

A biblioteca elementar, por Alberto Mussa