Mais um dia - Yassu Noguchi

Mais um dia


Ao acordar, percebi. Ela já havia passado pela pia: o tubo de pasta de dente apertado na parte da frente, do contrário que faço, seguindo a lógica. Ela já havia passado pelo chuveiro: a calcinha molhada pendurada na torneira, diferente de mim, que coloco as cuecas na máquina. Ela já havia passado pelo closet: uma pilha de roupas espalhadas pelo chão, contrastando com minha coleção de camisetas pretas e blusas sociais brancas, para não ter dúvida. Ela já havia passado pela cozinha: a marca de batom na xícara dentro da pia, e a garrafa da cafeteira cheia, que nada se fazia dela, pois não tomo café. Ela já havia passado pela sala: correspondências fechadas e o jornal fora da ordem, que eu prontamente, ao ver, abria e arrumava, caderno por caderno. Ela já havia passado pela varanda: a areia do gato trocada, o que não amenizava - essa higiene toda que ela fazia questão de manter - meu horror por animais de estimação. Ela já havia passado pela área de serviço: secadora em funcionamento, contando com seu desligamento automático e eu, que precavido, a desligava no ponto que ela estivesse, para que nada acontecesse enquanto estivéssemos ausentes. Ela já havia passado pelo quarto de hóspedes: a fronha do travesseiro úmida, com marcas de rímel, que eu imediatamente colocava de molho com alvejante. Ela já havia passado pela porta: por onde não a vi mais entrar.


Conto escrito para o encontro de 13/05/2014






Ha-fu japonesa, mezzo italiana, e natural do Rio de Janeiro, Yassu Noguchi é contista, artista visual, poeta residente do Pizzarau e do Santa Poesia, e integrante dos coletivos Romã com Travesseiro e Balalaica.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O livro do desassossego, de Fernando Pessoa

Lagartixa cauda-de-chicote, por Patricia Porto

A biblioteca elementar, por Alberto Mussa