A felicidade suprema - Clarice Lispector


Recomendação de livro por Gláucia Fortes




 Os Desejos da Clarice


O livro que indico é Felicidade  Clandestina  da Clarice Lispector. Nessa obra, Clarice relata através de contos, os  desejos  mais simples aos mais complexos  dos seus personagens. O conto que estreia o livro tem por título o mesmo da obra, aborda o desejo por um objeto. Mas que representações pode ter um objeto na vida de uma pessoa? Neste conto a personagem, uma menina com poucos recursos para comprar livros,  espera ansiosa pelo empréstimo prometido enquanto a colega que o promete, filha do dono de uma livraria, tripudia e a faz voltar a sua casa várias vezes até que a mãe da menina percebe a intenção da filha e realiza o desejo da menina. E como, segundo Freud,  o desejo nasce de energia sexual, neste conto estar  com o objeto do desejo  é mais do que uma realização, é o ápice, uma plenitude, o gozo que transforma a menina numa mulher com o seu amante.
Desejos habitam todos os seres humanos e são a sede da alma, a força propulsora, uma vontade que muitas vezes não  tem explicação ou coerência mas que todos, mesmo os que procuram seguir as regras, são tomados por eles, impulsos sobre os quais nem sempre se tem acesso a sua natureza, muitas vezes dotados de vontades arbitrárias segundo os códigos da ética adotada na sociedade.
Neste livro há desejos universais como o de conhecer a engrenagem da vida representado no conto Miopia Progressiva por um menino  que estabelece hipóteses e aposta em padrões de comportamento para receber um resposta coerente com o padrão adotado. Também há contos de caráter confessional memorialístico como Restos de Carnaval em que uma menina deseja se fantasiar de rosa e quando seu desejo estava quase atendido, já vestida com saia de crepom, teve que atender ao pedido de emergência de um membro da família e ir correndo pelas ruas de Pernambuco rumo à farmácia buscar remédio para sua mãe doente. Ao retornar, a menina percebe que alguma coisa se transformou dentro dela. Seria ela ainda capaz de sentir felicidade naquele dia?
E como estamos falando da Clarice Lispector, temos que chegar a algum estranhamento, provocado sobretudo pelo  emblemático O Ovo e a Galinha, conto em que aborda questões a acerca  do tempo e da existência numa narrativa hermética.
Em Felicidade Clandestina, os personagens transbordam desejos, muitas vezes cometem pequenas transgressões que os humanizam   e refletem como é complexa, árdua e clandestina  a tarefa de ser feliz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O livro do desassossego, de Fernando Pessoa

O Caderno Vermelho, por Leo Almeida

Asas de papel, por Carmen Belmont