Mote do encontro 24/03/15

Texto lido por Thiago Mourão


O feitiço da ilha do Pavão

 

 

Ah, quem estava distraído nessa hora afirma que a tarde se iluminou de rosa carmim, o ar se perfumou e toda orla da ilha do pavão faiscou. Não se sabe se isso é verdade, mas parece que sim, porque passaram um tempo infinito um dentro do outro e gozaram como ninguém nunca gozou neste mundo, atravessando a longa noite abraçados e amantes, nada de ruim podendo alcançá-los.

De noite, se os ventos invernais estão açulando as ondas, as estrelas se extinguem, a Lua deixa de existir e o horizonte se encafua para sempre no ventre do negrume, as escarpas da ilha do pavão por vezes assomam à proa das embarcações como uma aparição formidável, da qual não se conhece navegante que não haja fugido, dela passando a abrigar a mais acovardada das memórias. Logo que deparadas, essas falésias abrem redemoinhos por seus entrefolhos, que nada é capaz de resistir. Mas, antes, lá no alto, um pavão colossal acende sua cauda em cores indizíveis e acredita-se que é imperioso sair dali enquanto ele chameja, porque, depois de ela se apagar e transformar-se num ponto negro tão espesso que nem mesmo em torno se vê coisa alguma, já não haverá como. Ninguém

fala nesse pavão ruante e, na verdade, não se fala na ilha do pavão. Jamais se escutou alguém dizer ter ouvido falar na ilha do pavão, muito menos dizer que a viu, pois quem viu não fala nela e quem ouve falar não menciona a ninguém. O forasteiro que perguntar por ela receberá como resposta um sorriso e o menear de cabeça reservado às perguntas insensatas.

RIBEIRO, João Ubaldo. O feitiço da ilha do Pavão. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1997.




João Ubaldo Ribeiro foi um escritor, jornalista, roteirista e professor brasileiro, formado em direito e membro da Academia Brasileira de Letras. Sua obra é considerada uma das mais importantes na literatura brasileira, sendo autor de "Viva o povo brasileiro", "Sargento Getúlio", "A casa dos budas ditosos", entre muitos outros. Faleceu em 18 de julho de 2014, no Rio de Janeiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O livro do desassossego, de Fernando Pessoa

Lagartixa cauda-de-chicote, por Patricia Porto

A biblioteca elementar, por Alberto Mussa