quarta-feira, 10 de maio de 2017

Os Ratos, de Cesar Cardoso

Ontem ela acordou, tomou seu banho e o café da manhã, como sempre fazia. Mas, ao se levantar da mesa, foi direto para o quarto e de lá começou a esbravejar com os ratos que andavam pelo teto, entravam em seu armário, roíam suas roupas, os retratos da família e alcançavam até a fiação.
Durante todo o dia ela gritou até ficar rouca, mas os ratos riam e riam, pois sabiam que ela já estava morta e que eles nem existiam.

(conto do livro Urubus em círculos cada vez mais próximos, editora oito e meio, 2017)

Mote para o encontro do dia 16/05/2017


Nenhum comentário:

Postar um comentário