10:04, de Ben Lerner


Quando nossos corpos se separaram, pensei ter visto a respiração condensada de Alena vagando pelo ar, mas o apartamento estava quente demais para isso; seja como for, corpo dela voltou à homeostase, e pelo visto muito mais rápido do que o meu. Ela levantou-se do colchão, alisou o vestido que não chegara a tirar em nenhum momento e eu me recompus e segui-a até a escada de incêndio, onde recebi as luzes do prédios mais altos que assomavam à nossa volta, todos eles envoltos em um halo agora. Alena tirou um cigarro de um maço que já devia estar em cima de uma lata de tinta cheia de areia e acendeu-o com um fósforo que risca em qualquer lugar - de proveniência obscura- na parede de tijolos externa do prédio. "Ah para com isso" eu disse, referindo-me àquela atitude descolada absurda e cumulativa. Ela bufou um pouco quando riu e depois tossiu fumaça, voltando a ser real.
Ficamos conversando sobre a exposição enquanto o cigarro durou - a abertura teria início dali a uma ou duas horas - quase toda minha mente ainda dominada por sua proximidade física, cada átomo que fazia parte dela também fazia parte de mim, todos os sentidos fundidos em um supersensibilidade generalizada, vidro moído cintilando no alfalto lá embaixo. Depois que ela apagou o cigarro no tijolo, uma chuvinha de brasas, entramos de novo no apartamento que era o pied-à-terre do dono da galeria. Alena dirigiu-se ao banheiro sem acender a luz e ouvi-a mijar: não puxou descarga, não lavou as mãos nem olhou-se no espelho naquele escuro.
Saímos do apartamento juntos, mas quando chegamos na rua, Alena explicou que preferia que entrássemos separados na exposição, pois um ex dela muito ciumento estaria lá e ela não queria aturar um interrogatório. Fiquei meio mordido com aquilo, mas tentando imitar sua impassibilidade, eu disse claro, claro, que eu também tinha combinado de encontrar com Sharon em uma cafeteria perto da galeria para depois seguir para inauguração com ela; despedimos-nos com um beijo.



Editora Rocco, 2018

mote lido por Fernando Andrade para o encontro de 05/06/2018



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O livro do desassossego, de Fernando Pessoa

Lagartixa cauda-de-chicote, por Patricia Porto

A biblioteca elementar, por Alberto Mussa